Saiba Mais


ago 13

Agosto Lilás: Campanha pelo combate à violência contra a mulher

O apoio psicológico é importante no enfrentamento à violência 

 

violência contra mulher

Chega! Denuncie, ligue 180.

O mês de agosto é marcado pela  campanha “Agosto Lilás” que aborda a conscientização sobre a violência contra mulher e a importância de conhecer os diversos tipos de violência que existem. A escolha do mês se deve a data de criação da Lei Maria da Penha, que aconteceu em 2006, e que deu visibilidade em âmbito nacional sobre  essa questão e abriu precedentes para novas leis como a de importunação sexual e a do feminicídio.

Dados recolhidos pela Instituto Patrícia Galvão mostram que uma mulher registra agressão sob a Lei Maria da Penha a cada 2 minutos, uma mulher é vítima de estupro a cada 9 minutos e 3 mulheres são vítimas de feminicídio a cada dia. E, também, que 42% dos casos de violência ocorrem no ambiente doméstico e a maior parte das mulheres não denunciaram o agressor, segundo estudo feito pela ONG Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Para o Alto Comissariado das Nações Unidas pra os Direitos Humanos (ACNUDH), o Brasil ocupa o  5º lugar no ranking de feminicídio.

A violência de gênero pode acontecer em qualquer lugar e com qualquer uma; não depende de classe social, formação ou região. É fundamental que a vítima denuncie mas nem sempre isso é um processo fácil. Muitas mulheres ainda não conseguem identificar todas as formas de violência que ela pode sofrer e como na maioria das vezes ocorre dentro de casa e o agressor é alguém próximo, a realização da denúncia pode ser doloroso e complicado.

Saiba mais: Dia Internacional de Combate à Violência Contra Mulher

Tipos de Violência

  • Sexual: manter ou forçar uma relação sexual não consentida (estupro), impedir o uso de método contraceptivo, forçar o matrimônio, à gravidez, ao aborto ou à prostituição

 

  • Física: afeta a integridade física e a saúde corporal, como chutes, socos e empurrões

 

  • Moral: injúria, calúnia e difamação da vítima

 

  • Patrimonial: agressor destrói e/ou oculta bens e documentos, impedir de  trabalhar, reter dinheiro

 

  • Psicológica: qualquer ação que cause prejuízo psicológico, como humilhar, insultar, perseguir e isolar

 

Relacionamento abusivo

Como a maior parte da violência contra a mulher acontece dentro do ambiente doméstico e muitas convivem com o violador é importante conhecer sinais de um relacionamento abusivo.

O relacionamento abusivo tem 3 fases:

  •  fase 1- Tensão – nesta fase acontece ofensas verbais, acusações, crises de ciúmes, ameaças e abuso emocional diminuindo a autoestima.
  • fase 2 – Explosão – aqui ocorre as agressões físicas como empurrões e chutes, violência sexual e grande descontrole do abusador .
  • fase 3 – Calmaria – o abusador pede perdão, mostra arrependimento, declarações de amor.

Após a fase de calmaria volta para fase de tensão e assim sucessivamente.

 

Apoio Psicológico

O apoio psicológico ajuda no resgaste da autoestima, no empoderamento para enfrentamento das situações e reconhecimento dos episódios de violência. Procurar ajuda de um psicólogo pode ser o primeiro passo para quebrar o ciclo de violência.

Não tenha medo de pedir ajuda!

Denuncie, ligue 180.

FacebookTwitterGoogle+Email